Escola Ester Benvenutti faz exposição sobre a importância histórica da mulher

Projeto, que segue até o fim de março, também incentiva o respeito pela diversidade

Para marcar o Dia Internacional da Mulher, comemorado na última sexta-feira (08/03), a Escola Professora Ester Justina Troian Benvenutti, no bairro Nossa Senhora de Fátima, propõe o Março da Diversidade, projeto que enaltece o respeito e que será desenvolvido com es estudantes no decorrer deste mês.

A professora de história e vice-diretora da manhã, Cláudia Cristina Fin, explica que a ideia inicial era trabalhar a importância da mulher na história. “Nossa proposta era valorizar a força feminina, especialmente no momento que vivemos hoje, ressaltando a igualdade de gêneros”, declara. A professora de Artes Giovana Grisson propôs, então, a ampliação do projeto para o chamado Março da Diversidade, período em que será abordado, semanalmente, um tema diferente relacionado às minorias. “Iniciamos esse trabalho propondo aos alunos do Grêmio Estudantil a criação de painéis que valorizassem a mulher, que agora estão expostos em diferentes espaços da escola”, aponta Cláudia. Segundo ela, a pesquisa e a criação do material é mérito desses 24 estudantes do 5º ao 9º ano que compõem o Grêmio. “Trabalhamos com eles em sala de aula e também no turno inverso, com autorização dos pais. Fornecemos os materiais e os espaços físicos para que eles criassem livremente a partir do seu próprio conhecimento, vivências e interesses”, esclarece.

De acordo com a vice-diretora, não se trata de um projeto pedagógico, mas de uma homenagem às mulheres e professoras da instituição. “Em sala de aula, alguns professores trabalharam temas diversos relacionados à mulher, enquanto outras turmas focaram em mulheres específicas, como por exemplo a Ester Justina Troian Benvenutti, que dá nome a nossa escola”, expõe. Os painéis trazem representações de mulheres caxienses, de outros lugares do país e do mundo, no intuito de aproximar os estudantes dessas personalidades femininas que fizeram e fazem parte da história.

Cláudia afirma que a prioridade da escola é abrir um espaço democrático de debate e contrapontos. “Acho importante trabalhar a questão do respeito com os alunos porque, muitas vezes, a visão que eles têm é restrita, preconceituosa, e a escola tem obrigação de ampliar esse debate. Não é uma disputa de polarização, mas, sim, uma busca pela igualdade”, conclui.

O projeto também recebe apoio do professor do 5º ano Johnatan Boeira e da coordenadora pedagógica da tarde, Caroline Troian, que faz o vínculo entre os turnos da manhã e da tarde. Além disso, a Level, em parceria com a escola, fez uma doação de 300 adesivos de respeito à diversidade, distribuídos entre os estudantes.

Assessoria de Imprensa – Smed

Fotos: Renata Zanatta 

Foto: Divulgação

Escolas da rede municipal realizam projetos alusivos à Festa da Uva em sala de aula

Trabalhos incentivam o conhecimento e o vínculo com as tradições trazidas pelos imigrantes italianos

A Festa Nacional da Uva é um momento de celebração que envolve o povo caxiense. Milhares de pessoas visitam o evento e se encantam com a cultura trazida pelos imigrantes italianos que colonizaram Caxias do Sul. Para incentivar o contato com essa tradição, a Secretaria Municipal da Educação (Smed) proporcionou, por meio de inscrições, que 1.920 crianças da rede municipal visitassem a festa gratuitamente. Além disso, as escolas foram orientadas a trabalhar o assunto em sala de aula.

Na Escola Municipal Cidade Nova, no bairro de mesmo nome, as turmas da Educação Infantil até o 5º ano do Ensino Fundamental se uniram para realizar diversas atividades. Os estudantes trabalharam a história da festa, a música tema deste ano, participaram de aulas de culinária produzindo geleia de uva e puderam também degustar alguns cachos da fruta. Para a coordenadora pedagógica, Sheila Duarte, o projeto foi essencial para os estudantes conhecerem um pouco mais das origens de Caxias do Sul. “As turminhas trabalharam com alegria e curiosidade. Todos puderam vivenciar na prática um pouco da história da festa, que ajuda também a contar um pouco da trajetória do nosso município. Foi um projeto muito importante para a nossa escola e para o desenvolvimento de um conhecimento mais concreto”, comenta.

Os 3º e 4º anos da Escola Municipal Professora Marianinha Queiroz, do bairro São Cristóvão, também realizaram um trabalho sobre a Festa da Uva. Antes de visitar os pavilhões, os professores titulares do 4º ano conversaram com os estudantes e passaram um documentário de toda a história da festa. Após a visita, todos fizeram relatos sobre o que aprenderam. Nesta sexta-feira (08/03), eles também trabalharam a importância da mulher imigrante e as vestimentas do trio de soberanas, em alusão ao Dia Internacional da Mulher. Já os 3º anos organizaram um típico café da manhã italiano e estudaram sobre a história da imigração italiana. “Todos adoraram visitar os pavilhões, pois muitos nunca tinham ido. E, posteriormente, nas atividades, eles demonstraram muito interesse e aproveitaram bastante”, afirma a professora Marivane Mascarello.

Inspirados nos antigos cartazes da Festa da Uva, uma dupla de professores e os estudantes do 2º ano da Escola Municipal Bento Gonçalves da Silva, do bairro Jardim das Hortênsias, trabalharam em um projeto de recriação dos pôsteres. As crianças se vestiram com roupas antigas e posaram para as fotos segurando cachos de uvas e instrumentos musicais. Paulo Prusch, professor de artes responsável pelo projeto, conta que o trabalho foi feito com o intuito de resgatar memórias, proporcionando a troca de experiências com os pais e avós. “A aprendizagem foi divertida e prazerosa, somando o conhecimento da história com as memórias afetivas das famílias dos estudantes”, conclui.

Já na Escola Municipal Sete de Setembro, em São Luiz da 6ª Légua, o 5º ano fez uma atividade diferenciada. Eles assistiram a um vídeo da Festa da Uva de 1958 e elaboraram um texto coletivo comparando com a festa atual. Depois, para estudar o gênero textual receita, a professora titular levou para a sala de aula uma receita de cuca de uva. Os ingredientes foram divididos entre os estudantes e todos fizeram o doce juntos. “Ficou uma delícia! Cada um comeu um pedacinho e alguns quiseram partilhar a experiência gastronômica com a família, levando um pedacinho para casa”, relata Denise Degregori, coordenadora pedagógica da instituição.

“É uma alegria presenciar professores e estudantes motivados com a festa e realizando atividades que permitam a vivência da cultura do nosso povo nas nossas escolas. Além disso, pudemos proporcionar um contato ainda maior com o evento para quase duas mil crianças, o que nos deixa muito felizes”, concluiu a secretária municipal da Educação, Marina Matiello.

Fotos: Divulgação 

Escola Municipal Vitório Rech Segundo realizará 2ª edição da Ação Comunitária.

Evento aberto ao público acontece neste sábado e oferece diversas atividades culturais

Integrar socialmente a escola e os moradores da comunidade Santa Bárbara de Ana Rech é o objetivo da 2ª edição da Ação Comunitária da Escola Municipal Vitório Rech Segundo, que acontecerá neste sábado (09/03). O evento oferecerá diversas atividades culturais que promovem a saúde, conhecimento e o bem-estar da comunidade escolar.

O público também terá acesso a vários serviços: a Unidade Básica de Saúde de Ana Rech fará atualização da carteira de vacinação e verificação de pressão arterial; a Universidade de Caxias do Sul (UCS) terá atendimentos de endocrinologia e metabologia; além de maquiagens, cortes de cabelo, pinturas faciais e aulas de alongamento. Como parte da recreação, os visitantes poderão se divertir com o Ônibus Brincalhão, da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer; um teatro sobre o mosquito da dengue, da Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal da Saúde e várias outras apresentações e brincadeiras.

Para a diretora, Roberta Magnani, o evento é uma excelente forma de dar importância às ações comunitárias. “Vale lembrar o trabalho voluntário para a realização do evento, visto que a maior parte dos serviços prestados é realizada por voluntários, que assumem um compromisso em benefício do outro”, afirma.

Fotos: Divulgação