Escolas do município desenvolvem projetos de ensino com metodologia de expedição investigativa

Programa “A União Faz a Vida” oferece suporte pedagógico a professores

A Secretaria Municipal da Educação (Smed) aderiu, no ano letivo de 2018, ao programa “A União Faz a Vida”, uma iniciativa da Sicredi Pioneira RS em parceria com as secretarias de Educação do Estado. O trabalho nas escolas é desenvolvido por meio de uma metodologia chamada de expedição investigativa, que equilibra a intenção pedagógica do professor com o interesse dos alunos. As escolas Santa Lúcia e Sete de Setembro participaram do programa, que deve ser oferecido no próximo ano para outras escolas da rede.

De acordo com Priscila Pasinato Pontes, professora dos anos iniciais na escola Santa Lúcia, o projeto “A Gigante dos Mares” foi desenvolvido no decorrer do segundo semestre com os estudantes do primeiro ano. A pergunta exploratória “Qual é o maior animal do mundo?” norteou os trabalhos. “Esse projeto foi uma experiência surpreendente e gratificante. No início, havia uma desconfiança de que seria difícil com a metodologia do Programa União Faz a Vida, mas ele se mostrou um meio muito eficaz para promover a autonomia e o protagonismo dos alunos”, aponta. Além de favorecer atividades lúdicas, a interdisciplinariedade e a pesquisa com a participação de toda turma, o trabalho teve grande importância profissional para a professora. “O projeto proporcionou a escrita e a reflexão sobre as práticas pedagógicas”, declara.

Rosana Cardoso Vieira, professora de História na Escola Sete de Setembro, explica que o projeto “Sete de Setembro, uma longa história…” foi desenvolvido com os estudantes do 8º ano a partir da curiosidade da própria turma, demais professores e equipe diretiva em conhecer a trajetória da instituição. “Não foi uma tarefa fácil, porque a turma é grande, de 30 alunos. Mas foi uma experiência encantadora! As descobertas, os questionamentos, todos envolvidos, inclusive as famílias… Acompanhar essa maturidade deles foi gratificante”, afirma. Ainda de acordo com a professora, o trabalho teve início ainda no final do primeiro semestre. “A posição deles com relação à escola e aos outros alunos mudou. Fizeram a apresentação para toda comunidade escolar no dia 29 de outubro”, expõe.

O programa
A iniciativa do Sicredi Pioneira RS foi idealizada em 2000, com o principal objetivo de oportunizar aos professores um suporte pedagógico e, aos alunos, a construção e a vivência da cooperação e da cidadania. Para desenvolver a metodologia de projetos por expedição investigativa, as escolas recebem o auxílio dos assessores pedagógicos do programa através de formações. Atualmente, 122 escolas de 18 municípios do Rio Grande do Sul participam do projeto.

Revista A União Faz a Vida
Os projetos desenvolvidos com o auxílio das professoras Priscila e Rosana foram selecionados para publicação na revista do programa, que contempla as escolas de todas as cidades gaúchas participantes. O evento de lançamento da revista ocorreu na última semana, no Hotel Vila Verde, em Nova Petrópolis.

Para Priscila, a cerimônia de lançamento também foi muito importante. “Foi um momento de valorização profissional. Recebemos a revista com os projetos publicados, foi feita uma homenagem aos professores, às equipes diretivas e a todos que se envolveram. Ao mesmo tempo, incentivou as escolas para que continuem se envolvendo, já pensando no próximo ano”, expõe. Segundo Rosana, a valorização pedagógica é essencial. “Recebemos formação na escola e acompanhamento durante todo ano, que culminou nesse evento. Me senti valorizada por ter o nosso projeto selecionado”, declara.

Assessoria de Imprensa – Smed

A professora Rosana

A professora Priscila 

Fotos: Divulgação 

Município prorroga prazo para instalação de escola infantil no Desvio Rizzo

Secretária da Educação se reuniu com integrantes de Clube de Mães nesta terça-feira

A secretária Municipal da Educação (Smed), Marina Matiello, acompanhada pela equipe técnica da Secretaria, reuniu-se com as integrantes do Clube de Mães Santa Rita de Cássia, no bairro Desvio Rizzo, nesta terça-feira (04/12). O objetivo do encontro, que deu seguimento à escuta qualificada ocorrida em setembro, foi garantir a prorrogação da ocupação do local pela entidade, já que o prédio foi solicitado pela prefeitura para a instalação de uma escola de Educação Infantil. A titular da pasta afirmou que a decisão está suspensa por mais 120 dias, prazo em que serão estudadas novas alternativas para sanar o déficit de vagas para as crianças da região.

“A equipe de governo do prefeito Daniel Guerra, junto à Smed, vem buscando alternativas para contemplar o maior número de crianças que possam ser atendidas nos diferentes zoneamentos da cidade, oferecendo qualidade aos estudantes e melhor possibilidade de organização às famílias em sua rotina diária”, aponta. A reforma e ampliação do prédio, hoje ocupado pelo Clube de Mães, abriria 90 vagas de Educação Infantil à comunidade. De acordo com a titular da Smed, a decisão final será comunicada ao Clube de Mães até o fim de março de 2019. “Até lá, faremos o possível para contemplar nossas crianças, acolhendo também a necessidade do Clube de Mães. Reforçando que, desde o início, estamos abertos a sugestões e faremos as devidas análises técnicas de outros locais”, afirma.

O encontro, que reuniu cerca de 50 participantes, representantes da comunidade e da Câmara de Vereadores, contou, ainda, com a presença das procuradoras do Município.

Assessoria de Imprensa – Smed 

Fotos: Renata Zanatta 

Escola de Educação Infantil do Município trabalha a diversidade do Brasil

Projeto da Planalto aposta no autoconhecimento para explorar outras culturas

Trabalhar a diversidade cultural do Brasil foi a proposta da Escola de Educação infantil Planalto para os estudantes do Jardim II no decorrer de novembro. As crianças foram incentivadas a fazer releituras de suas personalidades através da criação de bonecos com materiais não estruturados e da confecção de quadros com seu autorretrato. A educadora Joseane Ramos da Silva destaca a importância de primeiro conhecer a si mesmo para depois conhecer o outro. “A turma está aprimorando o seu conhecimento das culturas através do autoconhecimento, estreitando, assim, laços mais fortes de carinho e amizade, unindo as igualdades e aprendendo a lidar com as diferenças”, explica.

O coordenador Marcos Vinícius Cardoso ressalta que muitas educadoras também estão trabalhando com esse método do autorreconhecimento para que as crianças consigam identificar onde estão inseridas. “Observamos que o nosso país ganha tanto com as culturas vindas de fora quanto com aquelas que já são enraizadas em nossa terra. Para finalizar o ano, resolvemos trabalhar sobre essa diversidade, pensando também no momento de encerramento com as famílias”, declara. Ainda de acordo com o coordenador da Escola, o evento de encerramento, previsto para os dias 11, 12 e 13 de dezembro, contará com apresentações de danças típicas do Brasil. “A música auxilia as crianças nas suas expressões, contribuindo para a maior absorção do conhecimento do projeto”, aponta.

Assessoria de Imprensa – Smed

Fotos: Divulgação Escola Planalto