Secretaria da Educação promove atividades alusivas ao Mês da Consciência Negra

Objetivo foi debater a identidade negra e a influência dela no Brasil

A Secretaria Municipal da Educação (Smed), em parceria com o Serviço Social do Comércio (Sesc), preparou uma série de atividades alusivas ao Mês da Consciência Negra, celebrado ao longo de novembro. Entre as ações ocorreram exibições de filmes, exposições e mesas-redondas. Um dos destaques foi a exibição do curta-metragem “Isso é Macumba?”, produzido pela Escola Municipal Professora Marianinha de Queiroz e o debate sobre identidade negra no Brasil, promovido junto aos professores da Smed.

O filme “Isso é Macumba?” foi exibido no dia 06 de novembro, no Instituto Taru. A obra trata de preconceitos que as pessoas que praticam a cultura negra (macumba, capoeira etc.) ainda sofrem. Fala também sobre a história da escravidão e suas heranças. O tema foi debatido em uma mesa-redonda com o professor Dinarte Paz, responsável pela direção do vídeo, o aluno Daniel dos Reis Assis, que foi o ator no curta, e a vice-diretora da Escola Municipal Ruben Bento Alves, Joelma Couto Rosa, engajada na causa.

Na mesma linha, os professores do município foram convidados para o Aldeia Debate no Teatro do Sesc. O tema da mesa-redonda girou em torno da identidade negra no Brasil, como as escolas incluem essa discussão nos currículos escolares e uma conversa sobre música e arte afro-brasileira. O mediador Carlinhos Santos, jornalista cultural e mestre em Educação, recebeu como convidados Richard Serraria, doutor em Literatura Brasileira e percussionista, Ronald Augusto, escritor e músico, e Lucas Caregnato, mestre em História e professor da rede municipal de ensino.

Já no dia 07/11 ocorreu a abertura da exposição “O Triângulo Atlântico em Caxias do Sul”, da Bienal Mercosul, na Galeria Municipal de Arte Gerd Bornheim, na Casa da Cultura. A mostra conta com obras de arte que englobam as culturas indígena, europeia e africana. As peças retratam como elas contribuíram para a formação da cultura brasileira. A atração é gratuita e encerra no dia 08 de dezembro.

A secretária da Educação, Marina Matiello, incentiva a participação das escolas neste tipo de debate. “A importância de trabalharmos, na rede municipal de ensino, a cultura afro-brasileira se deve não só à necessidade de expandirmos conhecimentos e valores acerca da identidade negra, mas também de proporcionarmos reflexões e debates sobre nosso cotidiano e nosso povo. Esse é um dos temas que deve estar presente no dia a dia escolar, no currículo e nas vivências de nossos estudantes”, resume.

Assessoria de Imprensa – Smed

 
 
 
 
 
 
Fotos: Carolina Canton