Smed amplia número de vagas no ciclo de alfabetização da Escola Aristides Rech, em Criúva

Antes, crianças precisavam ingressar em escola estadual devido à legislação do transporte escolar

A Secretaria Municipal da Educação (Smed) ampliará a oferta de vagas para o ciclo de alfabetização (da Educação Infantil ao 3º ano do Ensino Fundamental) na Escola Municipal Aristides Rech, em Criúva. A partir do próximo ano, a instituição terá uma sala para Educação Infantil e duas para o 1º, 2º e 3º anos. A melhoria definida em conjunto pela prefeitura e pelo Ministério Público Estadual (MPE) foi informada à comunidade escolar nesta quinta-feira (01/11), em reunião com a secretária da Educação, Marina Matiello, e outros representantes da Smed.

Atualmente, parte dos estudantes precisam ingressar na Escola Estadual Irmão Pedro ao concluírem a Educação Infantil, uma vez que a legislação determina que o transporte escolar precisa levar o educando à instituição mais próxima de sua casa. “Ocorria que os estudantes começavam conosco, na Aristides Rech, por ser a única instituição pública que oferece Educação Infantil no distrito. Mas, depois de terminar a Educação Infantil, eles precisavam ser transferidos à Escola Estadual Irmão Pedro, porque era a mais próxima de suas residências. Como essa instituição só atende até o 5º ano, eles precisavam novamente fazer a transferência para a Escola Estadual João Pilati, a partir do 6º ano, até a conclusão do Ensino Médio. Essa situação de trocar de instituição três vezes ao longo da vida escolar era muito desgastante para os estudantes”, considera a secretária Marina.

A partir do próximo ano, os alunos poderão escolher continuar na Aristides Rech até o 3º ano, mesmo não sendo a escola mais próxima de casa. “Garantiremos o transporte escolar para qualquer escola nas séries iniciais do Ensino Fundamental, já que os pais poderão escolher a que considerarem mais adequada dentre as três disponíveis. Também transferiremos as turmas de 4º e 5º anos da Aristides Rech para as escolas estaduais, a fim de termos mais vagas no ciclo de alfabetização, que é fundamental para o restante da vida escolar. Por serem maiores, os estudantes a partir do 4º ano têm mais facilidade de adaptação”, explica a secretária.

Para as crianças do 4º e 5º ano, que serão transferidas para uma das estaduais, a mudança também será benéfica: eles terão professores específicos para cada matéria, o que hoje não ocorre na Aristides Rech. Além disso, poderão ter mais contato com outros alunos da mesma idade, visto que cada ano tem sua própria sala nas escolas estaduais.

Conforme a legislação municipal, têm direito ao transporte escolar os estudantes do meio rural que residam a mais de um quilômetro de distância da escola. Na legislação estadual, no meio rural, têm direito os que residem a mais de dois quilômetros da escola.

Assessoria de Imprensa – Smed 

Fotos: Carolina Canton