Turma de 5º ano da Escola Municipal João de Zorzi participa de círculos de paz

Vivência tem o objetivo de preparar os estudantes para o próximo ano letivo

A turma do 5º ano da Escola Municipal João de Zorzi participou de uma atividade especial nas últimas quinta (18/10) e sexta-feira (19/10). A ação foi ministrada pelo assessor pedagógico da Secretaria Municipal da Educação (Smed) e facilitador da Justiça Restaurativa, Délcio Cruz Júnior, e teve o objetivo de sensibilizar e ensinar sobre procedimentos restaurativos envolvendo a comunidade escolar.

A vivência foi promovida com círculos de construção de paz e buscou informar e sensibilizar os pais e estudantes para a nova prática da metodologia da pedagogia circular, utilizando o objeto da palavra como forma de expressão, focando nos últimos meses letivos e começando a preparação dos alunos para o ingresso no 6º ano. A estudante de psicologia, Mayara Ferreira, desenvolve trabalho de estágio na instituição e acompanhou a turma durante a atividade. “Notei que o círculo muda a postura dos estudantes, principalmente na atenção, educação e disciplina. Foi uma experiência incrível”, explica.

A diretora Tânia Neuwald também observou o processo de perto, e pôde perceber a evolução no comportamento dos estudantes. “Eles ficam mais humanizados, passam a ter mais disciplina e mais foco em correr atrás de seus sonhos”, afirma.

Para o facilitador Délcio Cruz, que realiza vivências de círculos de paz com várias turmas, depois da atividade sempre se consegue um bom retorno. “Obtivemos ótimos resultados com a turma que está agora no sexto ano e que trabalhamos com a Pedagogia Circular no ano passado. Por isso tentaremos, através da rotina construída usando os círculos, preparar mais uma turma para o sexto ano”, completa.

Assessoria de Imprensa – Smed 

 

Fotos: Délcio Cruz Júnior 

Vice-diretores das escolas da rede municipal participam de palestra sobre prevenção às drogas

Ação foi proposta pela Polícia Federal para as Cipaves do Município e do Estado

Os vice-diretores das escolas municipais participaram de uma palestra nesta segunda-feira (22/10) com o tema “Drogas de abuso: usos e consequências”. A proposta da Polícia Federal contemplou o eixo da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar (Cipave) da Secretaria Municipal da Educação (Smed), relacionado à prevenção ao uso de drogas. Ministrada pela perita criminal federal Carina Maria Bello de Carvalho, a palestra ocorreu na Câmara de Vereadores e reuniu cerca de 100 pessoas. Gestores, membros das Cipaves, pais, professores e funcionários das instituições de ensino foram convidados a participar. Representantes das escolas estaduais também compareceram.

Carina abordou os tipos de drogas e suas principais consequências na formação dos jovens, destacando o uso abusivo do álcool e seus efeitos na vida adulta. “Os educadores podem agir como nossos multiplicadores, já que são eles que passam mais tempo com os jovens. Damos palestras diretamente para eles, desde crianças do 3º ano até estudantes universitários”, disse a perita.

José Cleber Pozenato, vice-diretor da Escola Municipal Cidade Nova, destacou a importância da iniciativa. “Esse conhecimento nos permite aprofundar o tema com os nossos estudantes e multiplicar a informação dentro das comunidades”. Délcio Cruz Júnior, assessor pedagógico da Smed, complementa. “É um momento importante não apenas para a comissão municipal, mas também para a Cipave do Estado. É a primeira ação em conjunto por um mesmo objetivo: combater esse grande mal social”, resumiu.

Assessoria de Imprensa – Smed

Fotos: Renata Zanatta 

Smed promove Oficina de Musicalização para professores da rede

Iniciativa propõe a compreensão da linguagem musical para trabalhos em sala de aula

Cerca de 20 professores da rede municipal de ensino participaram de uma Oficina de Musicalização, na última quinta-feira (18/10). O encontro, promovido pela Secretaria Municipal da Educação (Smed), foi conduzido pelo professor de arte e música Diego Conto Lunelli. A atividade teve como objetivo planejar e inserir propostas de educação musical em sala de aula.

Para isso, os professores tiveram contato com a música e o entendimento da linguagem por meio de vivências. Também foi trabalhado o desenvolvimento de habilidades de percepção, apreciação e criação musical a partir de questões étnico-raciais para atividades de percussão, estudo de toques e cantos de origens de diferentes contextos socioculturais. “Procuro sensibilizar os professores para essa consciência musical, também ensinando como reger uma turma. Assim é possível mostrar novas possibilidades para os alunos, para que possam se familiarizar com instrumentos e estilos diferentes daqueles que já conhecem”, enfatiza o ministrante da oficina.

Adriano Zanandrea, assessor pedagógico da Smed referência em linguagens artísticas, destaca a importância desse tipo de capacitação para a expansão gradual da música em toda a rede. “Essa iniciativa deverá instrumentalizar os professores para o desenvolvimento de propostas de musicalização com seus estudantes, proporcionando ferramentas pedagógicas e a construção de conhecimentos musicais”, afirma.

Novas ferramentas que a professora Patrícia Zorzi, da Escola Municipal Luiza Morelli, pretende levar aos seus alunos. “Às vezes nem nós conhecemos os instrumentos. A oficina vai permitir trabalharmos os ritmos, os passos e outras técnicas em sala de aula. É importante que os estudantes conheçam essa diversidade”, destaca.

Assessoria de Imprensa – Smed

Fotos: Divulgação Smed